29 novembro, 2007

Apresentadores que tomam chá com o espectador

Não sou de assistir televisão. De seguir novelas. Não é porque não tenho tempo, é porque não gosto mesmo. Televisão emburrece e aliena quem assiste, além de se tornar um vício. Quem ja assistiu Além do Cidadão Kane(que fala dos podres da Rede Globo) sabe do que estou falando.

Mas uma tendência que vem se tornando modinha nos telejornais ao vivo é os apresentadores conversarem e fazerem comentários (im)pertinentes a respeito de notícias ( além de sairem totalmente da pauta ). Fica algo totalmente sem graça, forçado e, quando muito, chato. MUITO chato.

Normalmente eu assisto um ou outro telejornal. O primeiro que tinha esse novo estilo foi o jornal local, da emissora afiliada a Globo. Com 2 edições no dia, a 1° passa na hora do almoço e a 2° passa final da tarde, as 18h. Antigamente era um telejornal normal, comum. Até colocarem o Rodrigo.

Ahh, o Rodrigo. Até nem sei o sobrenome do cara, mas que ele é chato e que já tem até comunidade no Orkut pedindo pra ele ser demitido, isso tem. O cara é chato a ponto do Boça não gostar dele. Em tudo se intromete, interrompe entrevistados, dá opinião sem ser chamado, enfim: um verdadeiro MALA. Sem alça, rodinhas e nem aquele cartãozinho com o nome do dono.

Conversa com qualquer outro colega que esteja apresentando o telejornal ao lado dele(até mesmo quando é algum repórter em campo)! O jornal que antes passava mó credibilidade, fica reduzido a uma conversa de "chá da tarde" com quem tá assistindo. Péssima combinação. Até a Sandra Anemberg, que apresenta o Jornal Hoje, entrou na moda. Ô sem graceira quando aquela mulher apresenta com o jornal junto o Evaristo. Até ele fica sem graça. Sei não esses dois.

Um dos poucos telejornais que conseguem dosar essa relação de "intimidade" com quem assiste sem sair dos trilhos e ficar "chato", é o jornal da Band no final de tarde e início da noite. O Ricardo Boechat, a Mariana Ferrão e o Joelmir Beting comentam, exclamam e "interjeiam"(colocam interjeição, neologismo rlz) de forma inteligente, sem deixar de dar uma opinião pessoal sobre a notícia e, ao mesmo tempo, saindo levemente da pauta.

Do jeito que a coisa anda, apresentar programas de uma forma informal vai virar moda. Capaz de até a CNN adotar o estilo(e pagar mico).

1 Comentários:

Naiane Mesquita disse...

Você falou tudo!
É por essas e outras que não consigo mais assistir telejornais (principalmente os da rede Globo).
No começo até suportava o jornal Hoje, por exemplo, mas com os comentários não há quem agüente. Tudo bem que pode ser uma estratégia para tentar se aproximar mais do telespectador, criar uma “interatividade”, mas a fórmula não da certo, forçada demais, cansa.
Ah propósito quando assisto o jornal local lembro vagamente do Faustão, talvez o apresentador (Rodrigo) tenha um grande futuro.

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos. Desde que escritos de uma forma correta. Lembre-se que o seu direito acaba onde começa o de outro.