03 janeiro, 2008

Profissionais web estão com mania de grandeza




Faz pouco tempo que a web realmente ganhou "asas" e cresceu em ritmo exponencial ao quadrado(alguem plote uma função dessa em um gráfico pra ter uma noção mais concreta do que estou falando).

Lá no século passado, pelos idos de 1997 aproximadamente, eram o céu, o ar, a terra(meus antepassados conheciam como sinônimo de "chão", e não o portal), a água, o Geocities e o Yahoo. Milhares de páginas pessoais criadas com o FrontPage penduradas em diversos servidores internacionais que criavam url's gigantescas do tipo "www.geocities.com/hollywood/4083/lambda". Todas no melhor estilo psicodélico, cheias de gifs animados, um fundo preenchido por um gif que fica mudando de cor toda hora e os hilários avôs de octagésimo nono grau do ajax: os marquees!

Bons tempos onde os sites mais organizados e estruturados visualmente eram de grandes empresas ou do governo. A internet evoluiu ao que é hoje com o melhor uso das tecnologias Ajax, Flash, Shockwave, Streaming. Chegamos ao ponto da web 2.0 onde tudo é perfeito. Perfeito em termos.

Para usar a maioria dessas tecnologias, é indubtável que você tenha uma conexão de banda larga. Assistir um video do Youtube em 56k? Suicídio. Tentar entrar em algum webmail que seja 100% Ajax, como o Gmail ou o Yahoo Mail? Este é o verdadeiro teste de paciência.

Utilizo banda larga há alguns anos. Na época, ADSL de 256/128kbits era a conexão mais fantástica que havia. Hoje em dia já existem até tecnologias ADSL de 10Mbits. Fora de casa nessas férias, usei a ultrapassada retrógada lenta conexão 56k. Que sufoco pra conseguir ler notícias da Folha. Que demora pra entrar no Gmail. Senti o impacto da "Web 2.0" no meu relógio.

As páginas estão entupidas de tantos recursos de JavaScript, animações em Flash, imagens JPEG, que a impressão que dá, é que a conexão "entope" e pára. Nenhum profissional da web parou pra ver que ainda a maioria das conexões são de 56k. Se não se adequarem e produzirem versões mais leves para seus serviços da web(como o Google, com a versão html do Gmail), perderão uma boa fatia do mercado.

Agora eu senti na pele o que é acessar a internet em uma conexão lenta. Vou pensar nisso na próxima vez que for criar sites e serviços web. E o que me deixa mais feliz, é que meu blog abriu rápido. :)

0 Comentários:

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos. Desde que escritos de uma forma correta. Lembre-se que o seu direito acaba onde começa o de outro.