30 julho, 2008

Minhas impressões sobre o Cuil, concorrente do Google


Bom, muito estardalhaço se fez sobre o lançamento do Cuil(pronuncia-se C*L :Þ ), um motor de busca desenvolvido por ex-funcionários do Google.

Em todas as reportagens, existe aquele marketing de "o meu é melhor que o seu, por causa disso e daquilo". Mas essa propaganda toda não interessa.

Pessoas comuns, usam aquilo que supre suas necessidades, ou oferecem algo a mais que necessitam. Essa premissa é ainda mais válida para Geeks. Se oferece algo que eu preciso e o outro não faz, ótimo! Dentro(e também fora) do universo da internets o que vai fazer diferença é a boa e velha propaganda boca a boca.

Fulano gostou, vai lá, e recomenda pra Siclano, que também gostou, e recomenda pra Beltrano. E, por isso, aqui venho postar minhas opiniões a respeito do motor de busca que tem saco roxo pra tentar concorrer com o oráculo Google.

O primeiro "choque" que você toma é visual: ao entrar no Cuil, você se depara com uma página negra.
Ela contém uma caixa de texto, um botão "Pesquisar" e alguns links, a respeito do Cuil. Enfim, vamos lá.
Minha primeira busca foi "google". Tive um resultado de 516 milhões e lá vai pedrinhas de referências.



"Sabe como é, sem ressentimentos"

A forma como o Cuil retorna os links é bem interessante: em blocos. Na primeira linha, o título da página, logo abaixo um texo-não-tão-curto contido da página e logo em baixo o endereço. Até aqui, google-like. A diferença é que para cada bloco desse, existe uma pequena imagem, como se fosse um "ícone", para ilustração. Isso é novidade pra mim e é bem interessante ao meu ver.


Categorias pra filtrar a busca

No canto superior direito, temos um agrupamento de resultados por categorias. Todo feito em Ajax. Ocupa o mesmo espaço de um "resultado", é menos específico, mas a densidade de links é maior. As vezes, o resultado que você procura já está nesse grupo de categorias, poupando tempo para acha-lo. Ponto pro Cuil.

O design da página é totalmente feito em Ajax, que é a vedete do momento. Animações, carrega resultados sem atualizar a página atual, etc. Marketing? Talvez. Utilidade? A maioria é somente "eyecandy". Máquinas antigas com navegadores não tão modernos podem ter alguns problemas de exibição. Seria útil uma opção pra "desligar" os efeitos eyecandy e deixar somente aquilo que realmente é útil e melhora a navegação.

Hm... Dicas =)

Digitando palavras na caixa de pesquisa, abre-se um menu onde o próprio sistema lhe dá "opiniões" pra facilitar e melhorar sua busca. Esse recurso é interessante e bem útil. Ponto pro Cuil.

Há ainda a opção de habilitar ou não o "Safe Search"(pra impedir a exibição de conteúdos NSFW) e alterar a exibição dos resultados em 2 ou 3 colunas, melhorando a visualização pra resoluções menores.

Como o serviço ainda é novo, há muitos poucos resultados para páginas e sites no Brasil, mas creio que isso não seja um problema e em breve seja resolvido.

Ao meu ver, o Cuil tem um potencial bom, apesar de ainda possuir um conteúdo meio "raso", comparado com o Google. Há alguns problemas de estabilidade, também, e algumas pesquisas retornam resultados não esperados. No total, o mecanismo é promissor, se conseguir superar seus problemas e ser mais relevante que o Google para quem quer achar uma agulha no palheiro da rede.

Experimente você também o Cuil e tire suas próprias conclusões.
Mas não esqueça:



o Google também já foi n00b. ;)

28 julho, 2008

Abuso de Autoridade

Quem nunca aqui passou aperto por qualquer tipo de abuso de autoridade?
Uma pessoa que detém qualquer tipo de poder precisa ter muita sabedoria e discernimento para usar tamanha responsabilidade de forma justa. O problema é que nem sempre isso acontece.

Policiais, políticos, médicos(porque não?), advogados, juízes, emissoras de televisão, jornais, todos podem abusar de sua autoridade e se tornar autoritários, mesquinhos, gananciosos. As vezes, nem sempre podemos nos defender ou nos poupar de tamanha falta de respeito.

Por isso que quando vi o vídeo a baixo me senti, de certa forma, vingado.



Queria eu ter uma arma anti-gravidade para momentos semelhantes! :Þ

Via Kotaku

27 julho, 2008

Eu não morri!



3 meses!
Nossa!
Ainda tem alguém que lê isso?

Se tiver, peço mil perdões. Sério.
Esse final de semestre foi fogo: provas, trabalhos, prazos longos, complexidades altas, criatividade zero. Tempo livre? Tinha, mas tinha muito pouco. E esse muito pouco, usava pra fazer outras coisas indispensáveis a minha insignificânte existência: comer, tomar banho e dormir. O blog ficou na última lista de prioridades.

Não que eu perdi a vontade de escrever, de forma alguma, mas é que faltou tempo. Além do maldito bloquinho de anotações que ainda não providenciei. Paciência.

E pior não foi isso: tive praticamente uma semana de férias feriado! Sim, já estou de aula denovo!
Mas apartir dessa semana, postes(sim) novos com conteúdo.
(Sendo sincero: só não escrevo algo que preste hoje porque reeeealmente estou com a cabeça fraca.)

Bom é isso, pessoas.
[]s!